sexta-feira, 24 de julho de 2015

Divulgação do Lucro da Festa Junina 2015

A Escola de Educação Básica Silva Jardim agradece a todas as pessoas que prestigiaram a sua Festa Junina ocorrida no dia 11 de julho. A mesma foi um sucesso e este sucesso deu-se graças ao apoio e prestígio dos pais, alunos, professores, festeiros e comunidade em geral. Muito obrigada pela grande parceria.

Divulgação do Lucro
Lucro Bruto: R$: 50.806,40
Lucro Líquido: R$: 36.136, 66
A direção

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Cheiro de pipoca está rolando no ar!

Trabalhando o tema Festa Junina, com seus alunos dos segundos anos um e dois, da Escola de Educação Básica Silva Jardim, a professora Denize Maffei Marian, levou uma surpresa para a sala de aula.
Depois de terem aprendido sobre as comidas típicas da Festa Junina, suas tradições e suas receitas, resolveram colocar em prática um pouco do que aprenderam e fazer pipoca na sala de aula.
Com muita alegria e vontade de aprender a turma toda pode ver como o grão de milho se transforma em pipoca, através de uma panela com tampa de vidro, o que deixou tudo mais atrativo e despontou a curiosidade nas crianças.
Ao final é claro, todos puderam se deliciar com a pipoca quentinha e o cheirinho delicioso que ficou na sala toda, que acabou virando um laboratório de aprendizagens e muita diversão.

Ao final da experiência, cada criança levou para casa a receita de como fazer pipoca e a missão de preparar em suas casas, com a ajuda dos pais. Sendo assim, um momento de interação entre pais e filhos, que unirão ainda mais seus vínculos familiares.






terça-feira, 14 de julho de 2015

Agradecimento - Festa Junina

A Escola de Educação Básica Silva Jardim agradece a todas as pessoas que prestigiaram a sua Festa Junina ocorrida no dia 11 de julho. A mesma foi um sucesso e este sucesso deu-se graças ao apoio e prestígio dos pais, alunos, professores, festeiros e comunidade em geral. Muito obrigada pela grande parceria.

A direção







segunda-feira, 29 de junho de 2015

Conhecendo a Cuca através de Tarsila

Tarsila do Amaral nasceu em 1º de setembro de 1886, no Município de Capivari, interior do Estado de São Paulo. Filha de um grande  fazendeiro,  passou a infância nas fazendas de seu pai. Estudou em São Paulo, e depois em Barcelona, na Espanha, onde fez seu primeiro quadro, 'Sagrado Coração de Jesus' em  1904. Tarsila estudou escultura, desenho e pintura no. Em 1920, Tarsila estudou em Paris. Ficou lá até junho de 1922 e soube da Semana de Arte Moderna através das cartas da grande amiga Anita Malfatti. Quando voltou ao Brasil, Anita a apresentou ao grupo modernista.  Em 1923 ela voltou a Europa e estudou com o mestre cubista Fernand Léger e pintou em seu ateliê, a tela 'A Negra'. Em 1924, veio ao Brasil e um grupo de modernistas passou com ele o Carnaval no Rio de Janeiro e a Semana Santa nas cidades históricas de Minas Gerais. Tarsila disse que foi em Minas que ela viu as cores que gostava desde sua infância, mas que seus mestres diziam que eram caipiras e ela não devia usar em seus quadros. “ Encontrei em Minas as cores que adorava em criança. Ensinaram-me depois que eram feias e caipiras. Mas depois vinguei-me da opressão, passando-as para as minhas telas: o azul puríssimo, rosa violáceo, amarelo vivo, verde cantante.” E essas cores tornaram-se a marca da sua obra, com as paisagens rurais e urbanas do nosso país, além da nossa fauna, flora e folclore. Ela dizia que queria ser a pintora do Brasil. Tarsila faleceu em janeiro de 1973. Atualmente ela é considerada a maior pintora do Modernismo Brasileiro.
Uma de suas obras mais conhecidas é a obra “A Cuca”. Tarsila do Amaral  pintou este quadro no começo de 1924 em óleo sobre tela, medindo 73X100 cm e escreveu à sua filha dizendo que estava fazendo uns quadros "bem brasileiros", e a descreveu como "um bicho esquisito, no meio do mato, com um sapo, um tatu, e outro bicho”. Este quadro é também considerado um prenúncio da Antropofagia na obra de Tarsila e foi doado por ela ao Museu de Grenoble na França.
Os alunos dos 4ºs anos da E.E.B. Silva Jardim orientados pelos professor arte-educador Jorge Luís Kuntze fizeram leitura de imagem da obra, ouviram e cantaram a música a “Cuca te pega” de Cássia Eller e discutiram sobre folclore brasileiro, em especial sobre a lenda da Cuca. A Cuca é sem dúvida, um dos principais seres do folclore brasileiro, principalmente pelo fato de o personagem ter sido descrito por Monteiro Lobato em seus livros infantis e em sua adaptação para a televisão, o Sítio do Pica-Pau Amarelo. A Cuca se originou através de outra lenda: a Coca, uma tradição trazida para o Brasil na época da colonização.
Segundo a lenda, a Cuca é uma velha feia que tem forma de jacaré e que rouba as crianças desobedientes, sendo usado por muitas vezes como uma forma de fazer medo em crianças que não querem dormir.

"A Cuca" - Tarsila do Amaral 1924
A Cuca Te Pega
Cássia Eller

Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
E pega daqui e pega de lá
Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
E pega daqui e pega de lá

Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
E pega daqui e pega de lá
Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
E pega daqui e pega de lá

A Cuca á malvada e se fica irritada
A Cuca é zangada, cuidado com ela
A Cuca é matreira e se fica zangada
A Cuca é danada, cuidado com ela

Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
E pega daqui e pega de lá
Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
E pega daqui e pega de lá

Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
E pega daqui e pega de lá
Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
E pega daqui e pega de lá

A Cuca é malvada e se fica irritada
A Cuca é zangada, cuidado com ela
Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega
A Cuca é danada, ela vai te pegar


Após a aula dialogada os alunos partiram para a atividade prática, reproduzindo a famosa obra com pedaços de E.V.A coloridos recortados e colados sobre folhas de papel A4.














terça-feira, 23 de junho de 2015

Entrando no clima para a festa

A Escola de Educação Básica Silva Jardim vem se organizando para a grandiosa Festa Junina. 
Na estrada da escola pode-se sentir a alegria que vai ser a festa!






segunda-feira, 22 de junho de 2015

O Surrealismo

O surrealismo foi um movimentos artístico e literário nascido em Paris na década de 1920, inserido no contexto das vanguardas que viriam a definir o modernismo no período entre as duas Grandes Guerras Mundiais. O Surrealismo foi fortemente influenciado pelas teorias psicanalíticas de Sigmund Freud, o movimento enfatiza o papel do inconsciente na atividade criativa humana. Um dos seus objetivos foi produzir uma arte que, segundo o movimento, estava sendo destruída pelo racionalismo.
As características principais deste estilo são: uma combinação do representativo, do abstrato, do irreal e do inconsciente. Os temas principais das obras surrealistas eram: o humor, o sonho e a contralógica. Foi através da pintura que as ideias do surrealismo foram melhor expressadas. Atraves da tela e das tintas, os artistas plásticos colocam suas emoções, seu inconsciente e representam o mundo concreto. Os principais pintores do período foram> Mas Emst, René Magritte, Joan Miró e Salvador Dali.
Após o surrealismo ter sido abordado e trabalhado em sala de aula pelo professor Jorge Luís Kuntze os alunos dos 8º anos foram convidados a produzirem vídeos em stop motion utilizando as características do tema, com o uso de recortes de figuras sobre obras surrealistas de Salvador Dali o principal pintor do período.  


Abstracionismo


A arte abstrata ou abstracionismo é geralmente entendido como uma forma de arte que não representa objetos próprios da nossa realidade concreta exterior. Ao invés disso usa relações formais entre cores, linhas e superfícies para compor a realidade da obra, de uma maneira não representacional. Surgiu a partir de experiências das vanguardas europeias que recusam a herança renascentista das academias de arte. A expressão também pode ser usada para se referir especificamente a arte produzida no início do século XX por determinados movimentos e escolas que encaixam-se na arte moderna. O artista russo radicado na Alemanha Wassily Kandinsky inaugurou o abstracionismo no ocidente com sua primeira Aquarela Abstrata de 1910. Kandinsky advoga o uso de formas abstratas como meio de atingir uma transcendência não através das formas reconhecíveis da realidade observável, como faz a arte tradicional acadêmica, mas através dos elementos puros da arte visual, como linhas, cores, as formas geométricas – o círculo, o quadrado e o triangulo – e os pontos entre outros.
Após o abstracionismo ter sido abordado e trabalhado em sala de aula pelo professor Jorge Luís Kuntze os alunos dos 8º anos foram convidados a produzirem vídeos em stop motion utilizando as características do tema, com o uso de materiais expressivos alternativos como: lã, botões, sementes, retalhos, tintas, papel colorido entre outros.